domingo, 30 de dezembro de 2018

Ultimo diário de 2018 (Retrospectiva e planos pessoais)


Campinas. Dia 30 de Dezembro de 2018
Eu confesso que tentei fazer esse diário em vídeo. Mas não deu nem um pouco certo.
Eu decidi fazer esse diário de forma diferente, para contar sobre o ano de 2018 e conversar um pouco sobre 2019. Principalmente por que tem muito o que falar, já que este é o último diário de 2018.
Então:


2018 foi um ano bem intenso. Acho que mais ainda do que 2017. E nesse final de ano esta ainda mais intenso.

Começamos o ano produzindo nosso primeiro curta, o “Toc’s anônimos”. Foi o primeiro curta que produzimos por conta própria. Posso afirmar que foi um desafio muito grande. Nós juntamos uma galera pra montar esse grupo de cineastas exatamente para gravar curtas e futuramente webséries ou longas...


Atores e alguns membros da equipe de Toc's Anônimos


E muitos de nós não tínhamos experiência nenhuma. Ainda não temos muita experiência para falar a verdade. Apesar disso deu tudo certo. Foi bem estressante e foi um longo processo.
Eu aprendi diversas coisas com tudo isso. Inclusive aprendi o que está na lei sobre o uso do uniforme militar fora de ofício. Porque um dos personagens era um ex militar e precisávamos saber se eu podia ser preso por colocar um uniforme oficial do exército nele ou não.



Para quem tem curiosidade. Se o set não estiver completo com boina e nome, não infringe lei.


Depois de gravar, enviamos o curta para edição e quando voltou... Eu sei lá. Não estava bem do jeito que eu gostaria. Então aprendi algumas coisas de edição de vídeo pra deixar um pouco mais do meu agrado. Tentei melhorar um pouco a qualidade.
Ao fim do processo eu aprendi sobre produção, casting de elenco, direção, edição de vídeo e um pouco sobre legislação.
Estamos enviando o curta para alguns festivais. Mas até o momento não ganhamos nem participamos de nenhum.



Ao mesmo tempo, em paralelo, eu comecei a fazer muitas análises de filmes, jogos e séries aqui nesse blog. A maioria voltada para o sotrytelling e narrativa. Também comecei a escrever alguns textos sobre roteiro. Tudo isso no intuito de estudar. Esses textos e análises era como se fossem minhas lições de casa. Enquanto a produção dos curtas seriam minhas aulas práticas.
Acho que isso é o que acontece quando você decide ser auto didático ao invés de ingressar em uma faculdade ou coisa do tipo.

Terminamos nosso primeiro curta e começamos a produzir o segundo que foi “O segredo da raposa”. Esse é um curta que eu já tinha gravado antes quando eu fiz o curso profissionalizante de cinema. Mas o professor que estava com as imagens desapareceu do mapa.


Atores e equipe do Segredo da Raposa

Então resolvemos regravá-lo do zero sob nossa produção própria. E foi uma ótima ideia. Os atores estavam mais evoluídos. Acabou saindo muito melhor que a primeira versão. A atuação deles estava melhor e acho que nós da produção também estávamos mais conscientes do que queríamos.
Esse curta ainda não está finalizado. Eu estou editando aos poucos, conforme vou aprendendo um pouco sobre o software de edição de vídeos.

Ótimos atores, devo dizer. Ótimos momentos também.


E isso nos levou ao segundo semestre, onde começamos a decidir qual seria o nome do nosso grupo de cineastas. Foi então que esse grupo deixou de ser um grupo de curtas e se tornou a Viratona Filmes. Nós já temos até os perfis nas redes sociais, mas ainda não vamos movimentá-los por enquanto por que os curtas estão ainda em circuito de festivais e não podem ser liberados para o público. E eu não quero ficar divulgando a página sem ainda ter produtos para apresentar para o público.
Mas foi mais uma época de aprendizados. Aprendi um pouco sobre naming e branding, e desenvolvi minhas habilidades de designer amador. E tudo isso no GIMP ao invés do photoshop (designers por favor não me matem).



Quando você não tem dinheiro para um designer profissional...


Definimos nosso nome, nossa marca. Criamos perfis nas redes sociais e traçamos nossas metas.

Nesse segundo semestre também aconteceu minha primeira experiencia com o Youtube. Fui contratado pelo canal “Além da Matrix” para escrever roteiros para eles. Roteiro para Youtube é uma coisa que eu não conhecia e nunca tinha estudado. Fique surpreso com o que conseguimos fazer e com o que estamos fazendo.

O “Além da Matrix” abriu minha mente para uma forma de ganhar dinheiro com roteiros que antes eu não tinha. A ideia de ser um roteirista para Youtube passou a incorporar meu plano de carreira. E isso tem sido algo pelo qual eu sou muito grato e tem me aberto algumas oportunidades.

Ainda no segundo semestre eu tive que deixar o blog de lado, porque muita coisa começou a acontecer. Eu já fazia teatro há uns dois anos. E agora estávamos preparando uma peça para apresentar para o público pela primeira vez. A gente já tinha se apresentado antes para alguns familiares, mas era mais como uma aula aberta. Dessa vez o desafio foi montar mesmo uma peça. Nós corremos atrás de figurino, local, cenário, etc...




Desde a experiência de montar uma peça de teatro e ver o quão trabalhoso é. Ou quanto dinheiro é gasto para fazer uma peça. Os ensaios também foram um desafio enorme. A peça tinha quase 30 minutos. Foi a maior peça que atuei até agora...


Aquele momento em que você ta apresentando uma peça, mas bate um sono e a hora do cochilo é sagrada.

Nos apresentamos em um lugar público. Num parque aqui de Campinas conhecido como Lagoa do Taquaral. E foi algo único pra mim. Creio que esse segundo semestre eu passei a admirar mais ainda a atuação e o teatro. Apresentar para crianças uma peça infantil foi sublime. Eu senti uma imensa responsabilidade nisso. Você carregar os sonhos e a imaginação daquelas pessoas na sua atuação. Isso é uma coisa que não dá pra descrever.


Fato curioso: Eu sinto tanta aflição nos olhos que para aplicar maquiagem em volta deles tiveram que me segurar num mata-leão.

E então chegamos a Dezembro. Que tem sido o mês mais louco e conturbado do ano.
A começar pela correria. Fui pra Comic Com e apesar de divertido, foi bem cansativo. Mal voltei e tínhamos ensaios para a peça de teatro que apresentamos no final de semana seguinte. E quando tudo isso passou... Começou a pré-venda do meu livro. PS: Se você for de Campinas e quiser adquirir, me mande uma mensagem.

Ao longo do ano assinei contrato de publicação com a editora Cervus que tem sido muito atenciosa comigo. O pessoal lá, sem dúvida alguma são pessoas que se esforçam para fazer os livros da galera alcançar as pessoas. O Davi é uma pessoa excelente. E quem me conhece sabe que esse ano, excelência tem sido a palavra que eu busco. E nesse quesito não tenho nada a criticar a Cervus. Na verdade, eu sou bem grato à Deus por colocar a Cervus no meu caminho.

E como disse, nesse mês começou a pré-venda de Setenta vezes Sete. O livro que eu venho trabalhando há uns dois anos. Então eu estou meio extasiado e corrido com tudo isso. Pensando em juntar a grana da galera para comprar todos os livros juntos. Planejando uma tarde de autógrafos. Tem sido uma loucura tudo isso.

Honestamente tem sido tão louco que eu tinha planejado meu ano de 2019 e já estou perdido. Tenho que planejar tudo de novo por que muita coisa está acontecendo e mudando o tempo todo.


E isso nos leva ao próximo tópico desse vídeo: 2019. Quais são minhas resoluções para 2019.
Bem... No primeiro semestre com certeza terá o lançamento oficial de Setenta Vezes Sete. Vou fazer uma tarde de autógrafos e vender alguns livros. Assim que começar o ano, vou ver possíveis lugares onde esse evento possa ocorrer. Eu já tenho conversado com alguns estabelecimentos e tenho uma listinha de lugares. Mas não vou confirmar nada por enquanto.

Eu pretendo talvez fazer algo nas redes socais para divulgar mais o livro. Ou um canal no Youtube, ou voltar com o blog sobre sotrytelling. Postando com mais frequência... Ainda não sei ao certo.
E já tenho ideias para meu próximo livro. Eu pretendo começar a pesquisar os temas para futuramente começar a trabalhar no nosso segundo livro. Mas aí vai mais um ou dois anos de trabalho.

Vai ter mais um semestre do curso de teatro então provavelmente vamos apresentar mais vezes. Talvez a mesma peça, para quem não teve oportunidade de assistir. Ou também possa vir aí alguma cosia nova. Isso já não é comigo, é com meu professor/diretor do teatro.

Na Viratona. Nós definimos que vamos gravar 3 curtas ao longo de 2019 e se der começaremos a pensar em uma websérie. Honestamente eu quero muito fazer websérie. Por que isso é um produto que talvez agrade mais o público ou atraia mais pessoas. Mas provavelmente isso ficará para 2020... Vamos sentir como vai ser. Também precisamos de mais pessoas na equipe, então vamos correr atrás de pessoas que estejam dispostas a participar do projeto.

Ainda tem possibilidades de eu conseguir mais alguns clientes para o Youtube. Talvez escrever roteiros para outros canais. Tem um possível projeto rolando, mas ainda está muito vago. Não da pra falar muito sobre isso. Pessoalmente eu quero muito que esse projeto de certo. Até porque se der certo é mais um passo na minha carreira.

A única coisa que sei sobre 2019 é que provavelmente trabalharei bem mais. Talvez seja mais cansativo, mais estressante. Mas eu tenho grandes expectativas para o ano que vem. O que sinto é que será um ano bem intenso. Eu confesso que estou um pouco assustado. Ou com um pouco de medo. Talvez eu tenha que abrir mão de algumas coisas para priorizar outras.

2018 já foi um ano intenso e de muitas conquistas. Não conquistei tudo o que eu tinha planejado, mas acabei conquistando coisas que eu não tinha planejado. E isso é muito bom. É muito bom ver que apesar de todo o planejamento, Deus reserva coisas que a gente não espera.

É como diz em Tiago 4 que nós não temos o poder de saber o que acontecerá amanhã. Devemos dizer “Se Deus quiser, viveremos e faremos isso ou aquilo”. Então acho que Se Deus quiser, nos reencontraremos em 2019 tendo conquistado diversas coisas que planejamos e não planejamos para nós mesmos.

E como é de costume nos meus diários eu recomendar uma música no fim do mês, recomendo fecharmos o ano ouvindo “I don’t know my name” da Grace vander Wall.
E se Deus quiser, os diários continuarão com muitas novidades nessa jornada para Vancouver e para me tornar um grande escritor/roteirista.




Nenhum comentário:

Postar um comentário